Linhares

Futebol capixaba perde o Estádio Joaquim Calmon - Tristeza

Tristeza Futebol capixaba perde o Estádio Joaquim Calmon

Nesta semana o futebol capixaba perdeu um de seus grandes templos. O Estádio Joaquim Calmon, localizado no bairro Shell, em Linhares, será demolido para a construção de um hipermercado.

O estádio que era a casa do Linhares Futebol Clube e pertencia à família Calmon tinha capacidade para cerca de 3 mil pessoas, e foi vendido por aproximadamente R$ 20 milhões.

Muitos craques do passado lamentaram a venda, dizendo que a perda é imensa para o futebol capixaba, sendo o Joaquim Calmon o único estádio profissional do Norte do Espírito Santo.

Joaquim Calmon foi ex-prefeito de Linhares, amante do futebol que dedicou vários anos de sua vida ao extinto América Futebol Clube. Na década de 50 quando era presidente do time, adquiriu o terreno e construiu o estádio, que na época, em 1952, após reformas recebeu o nome de Coruja Azul. Após sua morte o estádio trocou de nome em sua homenagem.

Para Diego Martins, ex-zagueiro e campeão capixaba pelo Linhares em 2017, autor do gol do título, a tristeza tomou conta da cidade. "É um fato triste, lamentável, principalmente pra mim que tenho grandes recordações no estádio. Pra nós jogadores, que cansamos de ver o Joaquim Calmon cheio em jogos decisivos, é muito triste. O torcedor de Linhares é apaixonado por futebol, mas sabemos que o futebol capixaba passa por uma grande crise", disse Martins.

Já Hiran, um dos melhores goleiros da história do futebol capixaba, se mostrou ciente da crise do futebol no estado. "Primeiro a gente tem que aceitar porque o estádio era uma propriedade particular, onde a família Calmon tomou conta, cercou, como era direito deles administrar o local. Era um lugar que foi cedido pro pessoal jogar os campeonatos. A gente só fica triste porque foi um lugar que deu tantas glórias à nossa equipe dos Linhares, tantas alegrias aos torcedores. Mais um estádio em Linhares sendo demolido e o time tendo que ir jogar em outra cidade, acho que é uma vergonha pra cidade de Linhares. É um estádio particular e só falam nele quando chega campanha, para se elegerem. Só prometem várias coisas, mas nunca sai do papel" ponderou Hiran.

Goleiro Hiran.

Não só os jogadores lamentaram a situação, o radialista Jota Nunes, uma das figuras mais respeitadas na transmissão do futebol do estado, disse que os profissionais da área no município ficaram órfãos. "O futebol do estado está entregue a pessoas que não estão nem aí, que não sabem administrar, que só querem se projetar politicamente. Estão apagando tudo o que foi escrito lá atrás por Fontana, por Giovani e estão jogando na lata do lixo. Uma cidade com cinco títulos estaduais e não ter estádio mais, não dá pra entender. O futebol do interior está acabando e se acabar o da Grande Vitória, o nosso futebol vai acabar. A gente não vê futuro", lamentou Nunes.

No ano de 1994, a maior façanha de um time capixaba aconteceu na Copa do Brasil. O Linhares chegou às semifinais da Copa do Brasil passando pelo time do Ceará, sendo posteriormente eliminado pelo forte Fluminense. O goleiro titular da época, Hiran, relembrou as grandes emoções proporcionadas aos torcedores no extinto Estádio Joaquim Calmon, além de exigir pedir ao poder público uma resolução do problema da falta de um estádio municipal em Linhares. "A gente fica chateado porque foi um local onde a torcida linharense vibrou muito, tanto na época da Copa do Brasil, ou no título do Capixabão de 1993. Era campo lotado todo domingo e quando chegava uma hora da tarde não tinha mais ingressos. Como jogador a gente fica triste, porque não dá pra formar time em Linhares porque não tem campo pra jogar. Mas é uma coisa que tem que ser pensada daqui pra frente. As autoridades linharenses tem que ter um pingo de respeito com a torcida que o Linhares teve e tem, e fazer um estádio, já que agora ficamos sem estádio - disse Hiran.

Na lembrança dos capixabas amantes do futebol está a última partida realizada no estádio. No dia 1º de abril de 2017, quando o Linhares empatou com o Tupi-ES em 0 a 0, acabando rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Capixaba, e com uma rodada de antecedência para o fim da 1ª fase.

O último título conquistado Joaquim Calmon, foi o Capixabão de 2007, quando o Linhares abateu o Jaguaré. O título veio com uma vitória símples por 1 a 0, e um empate em 0 a 0, no Estádio Conilon. O autor do gol do título foi o ex-zagueiro Diego Martins, que na época atuava como volante.

Zagueiro Diego Martins, autor do gol do título.

Nesta vitória do Linhares sobre o Jaguaré, o time comandado pelo técnico Antônio Carlos Roy entrou em campo com: Raul, Jonatan (Serginho), Márcio, Abílio e Fabiano; Diego, Índio, Adriano e Guido (Adeílson Pelé); Rodrigo Calixto e André Biquinho (Rafael Zaró).

Emocionado o ex-zagueiro Diego Martins relembrou seus últimos momentos de alegria e da torcida linharense. "Em 2007 eu fiz o meu primeiro gol como profissional, que foi o gol do título contra o Jaguaré (o 2º jogo terminou em 0 a 0, no Conilon). Foi um momento único, gratificante demais, porque foi o meu primeiro e único título capixaba, além de ser o último título da cidade de Linhares. Eu nunca tinha vivenciado isso e sendo o protagonista desse título, me marcou muito. Lembro de todos os momentos dos jogos, duas grandes equipes e duas torcidas fazendo uma grande festa. Vai ficar marcado para sempre em minha vida", concluiu Diego Martins.


Tags:



Guia Capixabão


Imagine divulgar seu negócio para 45 mil pessoas todos os meses, ser encontrado pelos seus clientes e aumentar suas vendas, mesmo que você não entenda nada sobre sites?