Atílio Vivácqua

Estudo sobre álcool, cocaína e crack é desenvolvido na PC - Violência no ES

Violência no ES Estudo sobre álcool, cocaína e crack é desenvolvido na PC

Uma investigação sobre o consumo de álcool, cocaína e crack por vítimas de homicídio na Região Metropolitana da Grande Vitória foi tema da tese desenvolvida pelo farmacêutico Evandro Lebarch, que trabalha na área de Toxicologia do Serviço de Laboratório Médico Legal (SLML) da Polícia civil (PC). O trabalho foi apresentado no dia 28 de agosto, na Universidade Federal do Espirito Santo (Ufes).

Para Evandro Lebarch, existe um conceito de que as drogas estão frequentemente relacionadas à violência, mas não existem estudos no ES que apresentem resultados de análises toxicológicas em vítimas de homicídio.

"Na pesquisa utilizamos métodos para identificação e quantificação de álcool, cocaína e seu principal metabólito benzoilecgonina (BEG), e ainda a anidroecgonina metil éster (AEME), substância produzida na pirólise do crack, que é indicativa de uso dessa droga. Foram coletadas amostras biológicas (sangue) de 485 vítimas de homicídios que deram entrada no DML de Vitória, no período de janeiro a dezembro de 2014", informou o pesquisador.

Com o estudo, observou-se que das 485 vítimas de homicídio, 236 (48,7 %) apresentou positividade para algumas das substâncias pesquisadas (álcool, cocaína ou crack), sendo que a maioria apresentou positividade principalmente para cocaína e crack.

"Com esses dados pode-se concluir que quase na metade das amostras de vítimas de homicídio da Região Metropolitana de Vitória foi detectado drogas no sangue. Algumas delas, especialmente os jovens e as mulheres, com concentrações sanguíneas muito elevadas de cocaína e crack", destacou Evandro.

O pesquisador


Evandro Lebarch possui graduação em Farmácia e Bioquímica pela Faculdade de Farmácia e Bioquímica do Espirito Santo, mestrado e agora doutorado em Ciências Fisiológicas pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Tem experiência na área de Química, e é professor da extinta Faculdade de Farmácia e Bioquímica do ES (Fafabes) e está localizado no Laboratório de Toxicologia da PCES desde 2010, auxiliando tecnicamente os peritos bioquímicos toxicologistas nas rotinas de análises laboratoriais.

O laboratório e o convenio com a Ufes

"O Laboratório de Toxicologia da PCES é responsável por fazer análises de identificação e quantificação de drogas e venenos em diversos materiais, utilizando modernas técnicas de Cromatografia Gasosa e Líquida, e com isso auxiliando na resolução de crimes e mortes violentas, esclareceu a perita bioquímica toxicologista responsável pelo laboratório, Josidéia Barreto Mendonça.

O Convênio PC-Ufes foi firmado em 2011, e contemplava a realização de cinco projetos de pesquisa, dentre eles o que foi realizado pelo Evandro Lebarch. Os demais projetos foram desenvolvidos no Laboratório de Neuropsicofarmacologia da Ufes para estudar em animais, os efeitos comportamentais e neurobioquímicos de exposição a drogas, e o Laboratório de Toxicologia realizou os exames de identificação dessas substâncias no sangue retirado dos animais.

O projeto


O projeto de pesquisa está como um dos estudos contemplados no Termo de Cooperação Técnico – Científica celebrado entre a Polícia Civil e o Laboratório de Neuropsicofarmacologia do Programa de Pós- Graduação em Ciências Fisiológicas da Ufes, que tem como coordenadora a Profa. Dra. Ester Myuki Nakamura- Palácios, renomada pesquisadora na área de neurociências e orientadora da tese do Evandro.


Tags:



Guia Capixabão


Imagine divulgar seu negócio para 45 mil pessoas todos os meses, ser encontrado pelos seus clientes e aumentar suas vendas, mesmo que você não entenda nada sobre sites?