Guaçuí

Cicloturismo é opção para conhecer de perto o Espírito Santo - Dia do Ciclista

Dia do Ciclista Cicloturismo é opção para conhecer de perto o Espírito Santo

Na semana em que se comemora o Dia Nacional do Ciclista, dia 19 de agosto, a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) convida os capixabas e turistas a conhecerem os encantos do Estado do Espírito Santo de bicicleta.

O cicloturismo, como é chamado o circuito de turismo feito de bike, é uma opção diferente na hora de descobrir destinos turísticos, que une ecoturismo, saúde, esporte e lazer. O Espírito Santo tem diversos lugares que podem ser explorados com a atividade. Pedalar no clima das Montanhas Capixabas ou pelo extenso litoral, não falta é opção para colocar a "magrela" na estrada.

Diferente de outras modalidades que usam a bicicleta, o cicloturismo não é de caráter competitivo, e sim um jeito de conhecer destinos turísticos. Embarque nas dicas de roteiros e conheça o melhor dos destinos capixabas.


Região Turística do Verde e das Águas

Nosso roteiro pelo Espírito Santo começa pelo litoral norte capixaba. Em Conceição da Barra, o Parque Estadual de Itaúnas tem várias trilhas para os ciclistas. A primeira é a Trilha da Barra, com 50 km de extensão, em estrada de terra pelo parque. O percurso dura cerca de 3 horas e é recomendado para pessoas com bom condicionamento físico.

A Trilha do Riacho Doce é uma opção mais curta pelo Parque Estadual de Itaúnas. O percurso tem 35 km em estrada de terra dentro do parque.

Achou os dois percursos puxados? A Trilha da Alméscar, com 20 quilômetros, é a menor. O percurso de 1h30 em estrada de chão pelo Parque Estadual de Itaúnas é recomendado para pessoas com pouco condicionamento físico.


Região Turística dos Imigrantes

Do litoral direto para as montanhas. Nas cidades de Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá e Santa Teresa é possível desfrutar do melhor das paisagens naturais. Por lá, os ciclistas pedalam em um roteiro de três dias, sempre em uma cidade diferente, conhecendo as cachoeiras, a cultura e a gastronomia da região.

Em Santa Leopoldina, as cachoeiras são destaque, em Santa Maria de Jetibá, a cultura e a gastronomia pomerana, já em Santa Teresa, o destaque é para o Circuito Caravaggio. O percurso total tem 100 quilômetros.

Na região, roteiros menores que duram somente algumas horas agradam quem quer pedalar um pouco menos. Como é o caso do passeio pelas cachoeiras de Santa Leopoldina, que tem a duração de poucas horas.

Outro roteiro é o dos Imigrantes, com 42 km de extensão, em sua maioria em estrada de chão, o percurso tem o centro da cidade de Santa Leopoldina como partida e chegada. No roteiro, as comunidades de Mangaraí, Bragança e Tirol.

Outra dica é o cicloturismo pela Rota Imperial, entre Santa Leopoldina e Venda Nova do Imigrante. O percurso de um dia, em estrada de chão, passa por 120 km na estrada construída em 1808 entre Vitória e Ouro Preto.


Região Turística das Montanhas Capixabas

Nas Montanhas Capixabas também há opções para praticar o cicloturismo. Entre Domingos Martins e Santa Leopoldina, um roteiro de cerca de 40 km propicia imersão na natureza. O trajeto sai do Centro de Domingos Martins até a Comunidade de Tirol, em Santa Leopoldina.

A Rota dos Ipês Amarelos, com 28 km de extensão, é outra opção em Domingos Martins. O percurso feito em 1h30 sai da Praça Dr. Arthur Gerhardt, passa por destinos como São Miguel e Galo, e retorna ao ponto de partida.

Em Venda Nova do Imigrante, a variedade de roteiros é grande. Os ciclistas costumam se encontrar no Centro da cidade e pedalar por localidades como São Bento e Alto Caxixe, aproveitando as cervejarias artesanais da região.

O trajeto, em sua maior parte em estrada de chão, passa pela Cachoeira da Madalena e Alto Bananeiras. Outra rota da região é o pedal entre Venda Nova do Imigrante e o Parque Estadual Forno Grande, com 60 km de distância, feito em cinco horas de percurso.


Região Turística do Caparaó

Que tal pedalar pelo Parque Estadual Cachoeira da Fumaça, em Alegre? O passeio de 60 km começa na cidade vizinha Guaçuí e passa por destinos rurais em Alegre e Ibitirama. No parque, o passeio de bike passa pelas trilhas autoguiadas e termina nos 144 metros de queda d’água da Cachoeira da Fumaça.

Também em Guaçuí existe o passeio na região do Patrimônio da Penha, em Divino de São Lourenço. O trajeto sai de Guaçuí e passa por montanhas e cachoeiras do Caparaó, além da comunidade alternativa que se encontra na região. O passeio dura cerca de três horas.

Procura conhecer as cachoeiras da Região Turística do Caparaó? Um roteiro especial visita as cachoeiras da Tremedeira, Caboclo, Carlito, Barulho e Piedade. Os 45 km de percurso é uma imersão a natureza de Guaçuí.

Outro percurso possível no Caparaó é pelas estradas e trilhas da antiga estrada de ferro, onde é possível contemplar os vales e montanhas da região. O percurso tem 62 km.


Região Turística Metropolitana

Na Grande Vitória, o circuito Caminho das Águas é opção para quem quer belezas arquitetônicas e naturais da região. O circuito de cicloturismo começa em Vila Velha e termina na Região Turística da Costa e da Imigração, no litoral sul do estado.

O circuito tem a Prainha, Centro Histórico de Vila Velha, como ponto inicial do trajeto no seu primeiro trecho até Guarapari. O percurso da primeira parte tem 36 km e termina no Parque Estadual Paulo César Vinha, em Guarapari.

O segundo trecho começa no Parque Estadual Paulo César Vinha e termina no Trevo de Meaípe, em Guarapari, num total de 28 km. Durante os dois trechos o ciclista passa por praias, lagoas, alagados, monumentos e história das três cidades.


Região Turística da Costa e da Imigração

A terceira parte do circuito Caminho das Águas começa no Trevo de Meaípe e termina no Balneário de Iriri, em Anchieta, em 28 km de trajeto. O quarto e último trecho do circuito passa pela cidade de Piúma, com 9 km de extensão. Durante os dois trechos o ciclista passa por paisagens, praias, lagoas e história das duas cidades.

Na Região da Costa e da Imigração não é só o litoral que tem trilhas. Em Alfredo Chaves, os apaixonados pelas magrelas podem percorrer os cerca de 30 km no percurso que passa pelas cachoeiras de Matilde, Carolina, Iracema, Iraceminha e Darós.

E aí? Deu vontade de curtir os circuitos capixabas? Escolha o roteiro e prepare a bike!

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Setur
Tel.: (27) 3636-8006
Tatiana Negris (coordenadora)

Felipe Marçal

imprensa@turismo.es.gov.br

imprensaturismoes@gmail.com

http://www.turismo.es.gov.br/

Instagram: @descubraoespiritosanto
Facebook: Turismo Espírito Santo

Twitter: Turismo_ES


Tags:



Guia Capixabão


Imagine divulgar seu negócio para 45 mil pessoas todos os meses, ser encontrado pelos seus clientes e aumentar suas vendas, mesmo que você não entenda nada sobre sites?