Vila Velha

Corredor morre após acidente em corrida de obstáculos no Espírito Santo - Não resistiu

Não resistiu Corredor morre após acidente em corrida de obstáculos no Espírito Santo

O corredor Wagner Carneiro Leão morreu após um acidente em uma corrida de obstáculos realizada em Vila Velha, na manhã deste sábado (18). O atleta, que é do Rio de Janeiro, veio ao Espírito Santo para participar da King’s Race, que ocorreu dentro do Rancho Forte, no bairro Morada da Barra, com a participação de 280 pessoas.

De acordo com a organização da prova, no quinto obstáculo, um coqueiro grande da propriedade que dava suporte a um dos obstáculos caiu e atingiu Wagner. O corredor teria caído e foi socorrido pela equipe médica da prova. Em menos de cinco minutos, ele já estava dentro da ambulância a caminho do hospital.

Wagner foi levado para o hospital São Lucas, em Vitória, mas não resistiu e morreu. A família do atleta foi comunicada pela organização logo após a morte e já está a caminho do Espírito Santo para fazer a liberação do corpo. A organização da King’s Race também já providenciou o traslado do corpo para o Rio de Janeiro.

Essa é a terceira edição da King’s Race no Espírito Santo e, de acordo com a organização, todos os obstáculos são exaustivamente testados e esse foi o primeiro registro de acidente ocorrido durante o evento. Antes do acidente que culminou na morte do atleta, uma bateria com 50 pessoas já teria passado pelo mesmo obstáculo.

A morte de Wagner causa a comoção de amigos corredores nas redes sociais. O Capixabão lamenta a fatalidade e deseja os mais sinceros sentimentos à família do atleta. Que Deus abençoe a todos.

A empresa King’s Race, organizadora da corrida com obstáculos realizada neste sábado (18) no Rancho Forte, em Morada da Barra, Vila Velha, divulgou nota lamentando e explicando como ocorreu o acidente que culminou na morte do corredor Wagner Carneiro Leão, do Rio de Janeiro. "A morte do participante abalou profundamente a equipe organizadora do evento. A empresa informa que está prestando toda a assistência necessária à família de Wagner", diz a nota.

Wagner morreu após ser atingido por um coqueiro que caiu durante a corrida. Cerca de 300 pessoas, de acordo com a organização, participaram da prova, cujo trajeto possuía 15 obstáculos. Por volta das 10h30, o corredor do Rio de Janeiro se acidentou quando passava pelo quinto obstáculo, que consistia em uma rede afixada entre dois coqueiros, aparentemente íntegros, sobre a qual os corredores tinham que passar.

Mais de 50 pessoas já haviam ultrapassado o obstáculo, quando Wagner se aproximou e foi atingido pelo coqueiro em queda. Após o acidente e a prestação de socorro ao corredor, o obstáculo foi interditado, e a corrida continuou, sem registro de outras ocorrências.

Wagner foi imediatamente socorrido pela ambulância que estava no local à disposição dos corredores e levado com vida para o Hospital São Lucas, em Vitória, mas faleceu antes mesmo de receber atendimento médico.

Segundo a empresa, todos os obstáculos foram testados nos dias anteriores ao evento por organizadores e por atletas. "Os últimos testes foram realizados na sexta-feira, 17. A King’s Race entrou em contato com o Corpo de Bombeiros sobre a necessidade de liberação dos obstáculos, mas foi informada de que somente obstáculos superiores a cinco metros de altura necessitavam de testes, o que não era o caso", esclarece a nota.

A organização da King’s Race informa ainda que comunicou a família sobre o acidente e está prestando toda a assistência necessária, custeando a vinda de familiares ao Estado para os procedimentos de liberação e transporte do corpo para o Rio de Janeiro.

Foi a primeira vez que Wagner participou de uma corrida de obstáculos no Espírito Santo, mas ele era adepto do esporte, de acordo com informações repassadas por conhecidos. Segundo informações fornecidas pela família de Wagner à King’s Race, ele tinha 39 anos, era músico e não deixa filhos.

A King’s Race destaca que promoveu, no ano passado, corridas de obstáculos em Pedra Azul e em Matilde e nunca havia registrado nenhum acidente. A empresa reafirma que lamenta profundamente o ocorrido e reforça o compromisso com a família do corredor.

O corpo do músico Wagner Carneiro Leão, que morreu após um acidente ocorrido durante uma corrida de obstáculos, neste sábado (18), no Rancho Forte, em Morada da Barra, Vila Velha, segue em traslado para o Rio de Janeiro. O velório começa a partir das 7 horas e o enterro está marcado para as 10 horas desta segunda-feira (20), no Cemitério de Éden, na cidade de São João de Meriti.

Wagner morreu após ser atingido por um coqueiro que caiu durante a prova King’s Race. Cerca de 300 pessoas, de acordo com a organização, participaram do evento, cujo percurso possuía 15 obstáculos. O corredor do Rio de Janeiro se acidentou ao passar pelo quinto obstáculo, que consistia em uma rede afixada entre dois coqueiros, aparentemente íntegros, sobre a qual os corredores tinham que passar.

Mais de 50 pessoas já haviam ultrapassado o obstáculo, quando Wagner se aproximou e foi atingido pelo coqueiro em queda. Após o acidente e a prestação de socorro ao corredor, o obstáculo foi interditado, e a corrida continuou, sem registro de outras ocorrências.

Wagner foi imediatamente socorrido pela ambulância que estava no local à disposição dos corredores e levado com vida para o Hospital São Lucas, em Vitória, mas faleceu antes mesmo de receber atendimento médico.

17308860_758906390950923_2480266812431765901_nComoção nas redes sociais: "Morreu fazendo o que mais gostava"
Na página de Wagner no Facebook é grande a manifestação de corredores, amigos e familiares. Mensagens que ressaltam a alegria do atleta que descobriu na corrida um prazer. "Morreu fazendo o que mais gostava" está na maioria das homenagens.

Embora já tinha participado de muitas corridas, essa foi a primeira vez que Wagner se inscreveu no formato de prova com obstáculos. Veio ao Espírito Santo para participar exclusivamente do evento.  O atleta tinha 39 anos, era músico e não deixa filhos.

Organização lamenta a morte
A empresa King’s Race, organizadora da corrida com obstáculos, divulgou nota lamentando a fatalidade. "A morte do participante abalou profundamente a equipe organizadora do evento. A empresa informa que está prestando toda a assistência necessária à família de Wagner", diz a nota.

Segundo a empresa, todos os obstáculos foram testados nos dias anteriores ao evento por organizadores e por atletas. "Os últimos testes foram realizados na sexta-feira, 17. A King’s Race entrou em contato com o Corpo de Bombeiros sobre a necessidade de liberação dos obstáculos, mas foi informada de que somente obstáculos superiores a cinco metros de altura necessitavam de testes, o que não era o caso", esclarece a nota.

A organização da King’s Race comunicou a família sobre o acidente e prestou toda a assistência necessária, custeando a vinda de familiares ao Estado para os procedimentos de liberação e transporte do corpo para o Rio de Janeiro.

A King’s Race destacou ainda que promoveu, no ano passado, corridas de obstáculos em Pedra Azul e em Matilde e nunca havia registrado nenhum acidente. A empresa reafirma que lamenta profundamente o ocorrido e reforça o compromisso com a família do corredor.


Tags:



Guia Capixabão


Imagine divulgar seu negócio para 45 mil pessoas todos os meses, ser encontrado pelos seus clientes e aumentar suas vendas, mesmo que você não entenda nada sobre sites?