Cadastro
Cadastre-se e receba novidades semanais
Cadastro
Pesquisa Personalizada
Cadastre-se grátis!

Odonto
O que é cárie ? Causas, diagnóstico e tratamento

01 de Junho de 2010
Compartilhar:
Facebook
Twitter
O que é cárie ? Causas, diagnóstico e tratamento
O que é a cárie?

É uma doença de caráter multifatorial, que pode levar a uma destruição localizada das estruturas dentais, através da ação de ácidos provenientes da metabolização bacteriana de carboidratos fermentáveis.

Quais as causas?

A progressão das lesões de cárie depende da presença no meio oral de um biofilme cariogênico formado sob a superfície dental e açúcares. Assim, a atividade metabólica na placa bacteriana que se dá de forma constante resulta em numerosas e minúsculas flutuações no pH na interface superfície dental e depósitos microbianos, sendo essas alterações ocasionadas pela liberação de ácidos provenientes da metabolização dos carboidratos disponíveis no biofilme.

A perda de conteúdo mineral e conseguinte formação das lesões estão relacionadas à manutenção de um baixo pH no meio oral (desmineralização) que não consegue ser neutralizado/tamponado pela ação da saliva, restabelecendo a remineralização dental. A dinâmica das lesões de cárie se dá pela alternância de períodos de desmineralização e remineralização do substrato dental e é esse desequilíbrio cumulativo entre a desmineralização e a remineralização que leva a formação das lesões de cárie.

É verdade que os antibióticos enfraquecem os dentes e estes ficam mais suscetíveis à cárie?

Não. O que pode existir na verdade é um maior risco a doença cárie, uma vez que ela é sacarose dependente e os antibióticos prescritos para crianças geralmente apresentam-se sob a forma de uma suspensão com sabor adocicado (sacarose). Nesses casos, a associação biofilme, higiene oral deficiente e administração freqüente e prolongada do uso destes medicamentos podem levar estes dentes a apresentarem um maior risco ao desenvolvimento das lesões de cárie.

Todavia, ao se falar em antibióticos e saúde oral vale-se lembrar que a tetraciclina quando utilizada no período em que os dentes estão sendo formados pode induzir a formação de manchas de coloração amarelada ou marrom-acinzentada na estrutura dental devendo ser evitada.

Com que idade as pessoas devem começar a freqüentar o dentista?

Preferencialmente já nos primeiros meses de vida os pais devem levar seus filhos ao dentista; a prevenção começa na educação dos pais quanto aos cuidados que estes devem ter com a higiene oral de seus filhos.

O bebê pode ter cáries? Dente de leite também pode cariar?

Sim. Uma prática muito comum entre os pais quando uma criança chora, principalmente à noite, é levar a ele uma mamadeira que muitas vezes é adocicada. A cárie tipo mamadeira ocorre porque, à noite, existe uma diminuição do fluxo salivar, o que favorece a retenção do alimento junto aos dentes e conseguinte manutenção do biofilme dental. A cárie rampante ou de mamadeira geralmente é muito agressiva e nessas condições o processo de desmineralização é potencializado e se não for controlada pode comprometer toda a dentição do bebê. Assim, sempre após a amamentação ou o uso da mamadeira a boca da criança deve sempre ser higienizada.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico das lesões de cárie é essencialmente visual e radiográfico. Apesar de atualmente existirem diversos aparelhos empregados no diagnóstico de lesões de cárie estes servem apenas como métodos auxiliares; profissionais competentes e olhos bem treinados são ainda a melhor ferramenta a ser empregada no diagnóstico de lesões de cárie.

Qual o tratamento?

Atualmente a odontologia contemporânea tem mudado seu foco de tratamento, que antes se prestava á contagem de lesões de cárie seguidas de posteriores restaurações, para uma odontologia que foca a promoção de saúde, onde as intervenções minimamente invasivas têm ganhado espaço entre diversos profissionais que passaram a atuar na doença cárie e não somente nas lesões, sua conseqüência. Lesões de cárie quando precocemente detectadas podem ser controladas e paralisadas através de procedimentos não invasivos.

Entretanto, essa prática nem sempre é possível e os procedimentos restauradores são ainda necessários e amplamente empregados, restabelecendo estética e função a dentes afetados por cárie.

Atualmente os tratamentos trazem como foco a promoção de saúde onde é de responsabilidade do cirurgião dentista educar seus pacientes quanto à manutenção de sua saúde bucal, tratando não apenas as conseqüências da doença, mas também, atuando em suas causas.

A cárie é transmissível?

A cárie dental é descrita por muitos como sendo uma doença transmissível. Entretanto isso não é verdade e deve ser entendido com muito cuidado, pois o que pode ser transmitido de uma pessoa para outra são os microorganismos associados à doença. Vale lembrar que a doença cárie é biofilme-açúcar dependente e a simples presença destes microorganismos na microbiota oral não é suficiente para que a doença se manifeste.


Os cremes dentais que prometem proteção contra as cáries realmente funcionam?

Duas considerações devem ser feitas a este respeito, inicialmente devemos lembrar que a utilização de dentifricios está relacionada á escovação que é efetivamente eficaz na remoção da placa bacteriana depositada sob a superfície dental. Em segunda instância os dentifrícios utilizados para a escovação são geralmente fluoretados e a presença do íon fluoreto é importante para o controle da cárie dental, pois ele é capaz de interferir nos processos de desmineralização e remineralização dental reduzindo as desmineralização e potencializando a remineralização, alterando a estrutura dental tornando sua superfície menos solúvel.


Os selantes dentários são eficazes no combate as cáries?

Os selantes dentários não controlam a doença cárie e nada mais são do que medidas preventivas ao desenvolvimento da mesma,sendo indicados para pacientes com alto risco/atividade de cárie. Os selantes geralmente são aplicados nas superfícies oclusais dos dentes nas regiões de cicatrículas e fissuras, especialmente em dentes recém erupcionados onde a higienização pode ser dificultada pela sua localização e pela própria anatomia dental favorecendo o acúmulo de biofilme bacteriano. A aplicação de selante dental pode ser entendida como um fator de proteção quanto à formação de lesões cariosas.


O flúor pode ser usado no combate à cárie?

O flúor pode ter efeitos benéficos e deletérios na dentição humana e em relação á doença cárie a sua disponibilidade no meio bucal, mesmo em pequenas quantidades, é indispensável para que o efeito preventivo se manifeste, pois como foi dito anteriormente o flúor é capaz de interferir na formação da lesão cariosa, inibindo a desmineralização e ativando a remineralização. Entretanto vale-se lembrar que o flúor não interfere nos fatores responsáveis pela doença cárie, apenas reduz a manifestação da sua progressão. Por outro lado, o flúor pode também apresentar um efeito deletério, que se dá frente a sua absorção sistêmica devido ao excesso de ingestão de flúor durante o desenvolvimento dos dentes, resultando na fluorose dental.


Quais os males que a cárie pode provocar se não for tratada?

A cárie dental é uma doença crônica e deve ser tratada e entendida como tal, os males que ela pode provocar são inúmeros, progredindo desde a perdas minerais estruturais sub-clínicas ao desenvolvimento de sensibilidades dolorosas; comprometendo o complexo dentino-pulpar podendo levar á formação de abscessos e a perda do elemento dental.

A manutenção da doença cárie acarreta á progressiva perda de estrutura dental promovendo sensíveis alterações no sistema estomatognático, comprometendo estética, funcionalidade e qualidade de vida uma vez que o fator social e emocional que esta doença implica também deve ser levado em consideração e tratado.


Como prevenir?

A prevenção se dá pelo controle dos fatores etiológicos que podem levar ao desenvolvimento de lesões de cárie. Prevenir a doença cárie é entender como ela funciona, e isso se inicia com educação em saúde. A importância da escovação com dentifricios fluoretados, o uso do fio dental, a mudança dos hábitos alimentares (enfatizando a diminuição da frequência de ingestão de açucares), a importância de se consultar um dentista periodicamente (risco e atividade de cárie) e enfim, lembrar que prevenção em odontologia é se preocupar com a higiene oral é buscar qualidade de vida.


Com que freqüência as pessoas devem ir ao dentista?

As consultas a um cirurgião dentista devem ser mantidas de forma regular, não existe necessariamente uma regra a ser seguida. O que se recomenda é que para pacientes com alto risco de cárie os retornos devem ser realizados com uma maior frequência avaliada individualmente para cada paciente. Assim, o mais importante é na verdade a conscientização das pessoas sobre os cuidados com sua higiene bucal e o quanto isso influência em sua saúde e qualidade de vida.

Dr. Francisco Carlos Rehder Neto é Cirurgião Dentista graduado pela Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto – USP; Mestre pelo Programa de Pós-Graduação do Departamento de Odontologia Restauradora da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto - USP e Doutorando no mesmo tema. Contato: fcrehder@usp.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.


Fonte: IDMED

Cadastro
Cadastre-se e receba novidades semanais

Notícias relacionadas



Desenvolvido por  ar2